A voz feminina nos livros

As incessantes buscas por voz e espaço têm sido um marco para a história de milhares de mulheres no mundo inteiro.  Ao atravessar uma cronologia temporal, desde muito cedo, elas – mães, filhas, tias, sobrinhas e tantas outras, enfrentaram problemas diante uma sociedade extremamente machista.

Pensando nisso, separamos algumas obras de autoras mulheres que apresentam, em seus livros, situações enfrentadas no dia-a-dia, propostas de reflexão e até mesmo o que fazer para combater o machismo, fortemente enraizado na sociedade.

 

  1. “Outros jeitos de usar a boca”, Rupi Kaur

De forma delicada e por vezes amarga, “Outros jeitos de usar a boca” é um livro de poemas sobre a sobrevivência, o amor, o trauma, a cura e a feminilidade.  Além disso, incentiva o leitor a refletir sutilmente diante as diversas situações enfrentadas na vida.

Foi publicado de forma independente em 2014 por Rupi Kaur, poeta e artista plástica nascida na índia, que tem como hobby a arte do desenho, presente, também, neste livro.

 

  1. “Sobrevivi… Posso contar”, Maria da Penha

Esse livro além de relatar uma história de dor e coragem,  é “uma forma de contribuir com transformações urgentes pelos direitos das mulheres a uma vida sem violência” como a própria autora diz.

Lançada em 2010, a obra sobre a vida da biofarmacêutica deixa ainda mais claro o quão foi necessário a criação da lei nº 11.340, conhecida popularmente como Lei Maria da Penha – que serve para proteção das mulheres vítimas de violência doméstica.

  1. “Mulheres, Raça e Classe”, Angela Davis

Ainda que tenha sido publicado em 1981 nos Estados Unidos e com tradução para o português somente em 2016, este livro aborda as tensões que ocorriam durante o movimento sufragista americano. Ao fazer isso, traça um forte panorama histórico nas lutas feministas, anti-racistas e anticapitalistas.

Além disso, a abordagem da escritora é sobre os diferentes interesses entre mulheres brancas e negras, na tentativa de criar um elo em comum entres as lutas feministas.

 

  1. “Sejamos todos feministas” , Chimamanda Ngozi Adichie

A escritora nigeriana e autora do best-seller internacional Americanah, traz nesse livro a importância do debate sobre o feminismo no século XXI, independente dos posicionamentos pré-definidos já existentes. Esse livro ajuda a esclarecer e libertar a mente de homens e mulheres das amarras do machismo.  Trata também sobre gêneros, igualdade e a fuga de esteriótipos, nos levando a quinta e última indicação.

 

  1. “Para educar crianças feministas – Um manifesto”, Chimamanda Ngozi Adichie

O livro é uma obra da mesma autora de “Sejamos todos feministas”, mas que é escrito no formato de carta enviada a uma amiga que acabara de se tornar mãe. A intenção é aconselhar, de maneira simples e precisa, como oferecer uma formação igualitária para todas as crianças.

 

 

Matéria por: Gabriel Freitas – Estudante de Jornalismo – Universidade Federal de Sergipe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *