Escravidão continua a ter impactos sociais, políticos e culturais profundos, diz chefe da ONU

Marcando o Dia Internacional em Memória das Vítimas da Escravidão e do Comércio Transatlântico de Escravos – 25 de março –, o secretário-geral das Nações Unidas destacou nesta segunda-feira (26) que, embora a prática abominável tenha sido abolida no século 19, continua a ter impactos sociais, culturais e políticos profundos.

“Esta data foi estabelecida não apenas para reconhecer um capítulo terrível da história da humanidade, mas também para iluminar os perigos do racismo e do preconceito de hoje”, disse António Guterres.

“Esse trágico episódio de sofrimento humano em massa deve ser relatado às gerações mais jovens por meio da educação, oferecendo um reflexo preciso dos relatos históricos, incluindo os muitos atos de bravura e resistência realizados pelos escravos.”

Leia a matéria na íntegra: https://nacoesunidas.org/escravidao-continua-a-ter-impactos-sociais-politicos-e-culturais-profundos-diz-chefe-da-onu/

Memorial Permanente para honrar as Vítimas da Escravidão e do Comércio Transatlântico de Escravos, localizado na Praça dos Visitantes, na sede da ONU em Nova York. Foto: ONU / Rick Bajornas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *