Ministro da Educação estuda substituir o formato atual das provas do Enem

Voltando a uma configuração parecida com os dos vestibulares antigos, aqueles em que s notas para se entrar na faculdade eram um somatório de outras provas feitas pelos alunos durante o ensino médio.

A ideia é começar a aplicação para os alunos do 1ºano já em 2021.

O cronograma inicialmente traçado prevê a incorporação das turmas de 2º
ano em 2022 e as de 3º ano em 2023, quando todo o ciclo regular do ensino médio estaria sendo atendido. Escolas públicas e privadas passariam pelo exame seriado.

As áreas técnicas do Inep foram chamadas a analisar a proposta e se ela pode ser viável. As mudanças seriam feitas paralelamente aos planos de
introduzir de forma gradual o Enem digital, anunciado no ano passado
pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub.

O Enem nos moldes atuais continuaria existindo, mas para um público
residual: quem já terminou há tempos o ensino médio e quer disputar
vaga em universidades e para os estudantes que perderem uma das
provas do exame seriado.

Haveria, portanto, o “Enem geral” e o “Enem seriado”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *