De larva a borboleta, como a poesia pode ajudar no combate ao vício em drogas

O processo de transformação de uma larva em borboleta pode chegar a um ano e representa um período de grandes mudanças até o primeiro voo. O livro “De Larva a Borboleta – Poesia Adictiva” mostra  que essa mudança não tem prazo definido para quem luta contra as drogas, mas que deve ser uma conquista diária até a libertação do vício. Um registro que vai muito além da arte e que pode representar um estímulo para quem ainda não venceu a doença.

Lançado há três meses, o livro transforma em versos os problemas causados pela dependência química e mostra que é possível manter a doença sob controle. A renda obtida com as vendas vai ajudar na construção de uma unidade para atendimento gratuito a adolescentes usuários, na região metropolitana de Belo Horizonte.

“ Falo das sensações causadas pelo uso da droga, do luto e arrependimento depois do uso, da autodestruição, da busca pela recuperação e da recuperação em si”, explica o terapeuta Ivan Pinto, autor do livro. Temas que ele, um “adicto em recuperação”, termo usado para definir ex-usuários que venceram o vício, viveu na pele depois de usar drogas por mais de duas décadas, ser internado seis vezes e conseguir manter o controle da doença há cinco anos.  “Falo da reconquista dos prazeres da vida, da transformação e tratamento dos usuários”, explica Ivan que também é assistente social e neto do histórico radialista Aldair Pinto.

Leia na íntegra: https://www.brasildefato.com.br/2018/04/10/de-larva-a-borboleta-como-a-poesia-pode-ajudar-no-combate-ao-vicio-em-drogas/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *